sexta-feira, fevereiro 23, 2007

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

no fantas: Tetsuo, the Iron Man

Hoje vou ver o Tetsuo, the Iron Man mais uma vez!
Fantasporto Rivoli, pequeno auditório pelas 17.15 h.

Não me canso do Shynia Tsukamoto e dos seus delírios cyberpunk.
Filme absolutamente fundamental para a história do cyberpunk japonês conta a história de dois homens que se cruzam num atropelamento e fuga. A metalofilia do atropelado pega-se como uma doença ao condutor e a partir daí o delírio ultrapassa as normais regras da imaginação. Pedaços de metal são expelidos do corpo como se de vulgares borbulhas se tratassem... estão a ver o esquema...

Sempre achei que as explosões nucleares de Hiroshima e Nagasaki tinham provocado mutações no DNA japonês... o resultado é um conjunto de filmes em que o corpo e a tecnologia se fundem numa única forma híbrida e cibernética. A violência e a loucura que resultam desta estranha mutação já deram muitos frutos e hoje o cinema japonês é um misto de pós-modernismo e tradição prtaicamente sem paralelo no cinema ocidental.
Muita atenção também às criações da Coreia do Sul (por ex: Kim Ki Duk e Chan-Wook Park) e de Hong Kong.

Bons filmes.

Gosto Duvidoso, um blog do fundo

Duvidoso, ou nem tanto assim, é o gosto deste blog (colaboração de sangue) do mano Fundo mais novo.

Quem o conhece sabe que aquilo até chateia... é ouvinte profissional e sabe tudo, tudo mesmo!

O blog é óptimo porque ele (fundo júnior) actualiza-se por nós... manda uns links para uns arquivos rar com os discos mas o melhor mesmo é usar torrents... podia por aqui os links todos mas dá muito trabalho. De qualquer modo tudo o que sai com interesse acaba por aparecer pelo blog. Vou tentar contribuir mas não acompanho o ritmo dele... para além de que o meu gosto é mais do que duvidoso.

Consultem e ouçam música, muita música. E já agora... comprem discos (eu sei que é uma roubalheira) daquilo que gostam realmente... nem que seja online.

Quanto ao vinil, como tanto gosta o mano fundo, parece-me excessivo... mas está bem, todos temos direito a uma mania saudosista.

Gosto Duvidoso

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

de volta pelo Fantas


Estou de volta, mais de seis meses depois. As promessas de regularidade no blog ficarão sempre curtas e insípidas... não sou propriamente de confiança e sou muito, muito mesmo, preguiçoso.

Vem este regresso a propósito do Fantasporto. O maior festival de cinema português. O festival com mais público, com mais cobertura mediática, com mais filmes – dos bons e dos maus – e com menos cobertura dos ditos críticos de cinema deste país.
Todos os anos um grupo enorme de amigos vem de Lisboa para ver o Fantasporto, para viver no Porto por uma semana. Todos os anos, por uma semana, nunca me sinto verdadeiramente sozinho. Sinto-me em casa com os filmes e com os meus amigos, os meus amigos de Lisboa. Desancamos em quase todos os filmes, esgotamos stocks de SuperBock, causamos embaraços ao Mario e à Beatriz com os quais eles raramente se incomodam e conhecemos o Dario Argento pelo meio.
Esta malta que vem de Lisboa – o António, o Filipe, o Fred e muitos outros – sabe muito de filmes. Envergonharia qualquer crítico convidado pela TVI para comentar os Oscars. Debita informação sobre a produção cinematográfica portuguesa e internacional a uma velocidade estonteante e tem uma postura crítica fundamentada e pertinente. O Fantas é uma festa e para nós é quase um vício como o cinema. Nós estamos por lá a partir de sexta-feira a viver mais uma semana memorável.
Mas ainda assim os críticos de cinema – de Lisboa, porque essas profissões só podem existir em Lisboa e quem não morar em Lisboa nunca será realmente importante para o país – raramente vêm ao Porto para ver o Fantas. Volta e meia lá aparece um ou outro, sempre muito vaidosos gostam de ser centro das atenções, gostam de ser estrelas. A SIC patrocina o Fantas mas o seu canal Radical pouco ou nada se vê no festival do cinema fantástico. Entretanto inicia mais um qualquer passatempo sobre a Playstation ou então põe dois tipos ridículos a confessarem que se deslocam aos EUA para assistir a eventos de wrestling!!?? Os críticos de cinema radicais falam dos filmes do Fantas um ano ou mais depois quando compram, ou melhor, lhes oferecem os packs DVD. Para eles a Troma é conhecida pelo programa de televisão e o Takashi Miike deve ser um lutador da WWE. Pronto, estou a ser mau e exagerado eu sei, mas a realidade não anda muito longe.

Vamos ao que interessa.

O Pré-Fantas começa hoje. A arrancar, um conjunto de filmes de super-heróis ocupa durante esta primeira semana o Grande Auditório do Rivoli. A destacar, o Homem Aranha de Sam Raimi, Sin City de Robert Rodriguez (com uma perninha do Tarantino) e o Hellboy do Guillermo del Toro - atenção a Pan's Labyrinth na abertura oficial do festival. De qualquer dos modos, quem não viu estes filmes no grande ecran que faça o favor de os ir ver porque o ecran de lá de casa com certeza que não é a mesma coisa.

No Pequeno Auditório... as peŕolas! Uma semana a não perder.
Bill Plymptom a todo o vapor, animação da melhor qualidade. Desenhos a lápis à moda antiga, ritmo estonteante e mutações, muitas mutações. Vejam todos, incluindo as curtas.

O génio de Shynia Tsukamoto, com especial atenção a Tetsuo - imperdível delírio cyberpunk, anos-luz à frente dos mais radicais videoclips do Chris Cunningham - e Vital, um filme lindíssimo em termos de composição e cor, que mostra Tsukamoto como um fantástico e maduro director de fotografia e realizador. Mestre insuspeito do mise-en-scène japonês em todo o seu esplendor.

Kim Ki Duk - The Isle, Bow, Bad Guy, etc. - é outro realizador a acompanhar. Com um ritmo próprio do oriente as suas histórias de amor nunca são convencionais e revelam sempre um realismo dos sentimentos humanos só comparável com a fantasia e irrealismo dos seus argumentos. Poético e terrível Kim Ki Duk deixa-nos tão apaixonados como chocados com o que vemos na grande tela.

Mais para a frente na semana mando umas bocas sobre os filmes da selecção oficial.

Vão ao Fantasporto!

Pré-Fantas de 19 a 22 de Fevereiro.
Fantasporto de 23 a 5 de Março no Rivoli - Teatro Municipal (ainda).